A CNIPE lamenta toda esta tragédia e solidariza-se com todos os que estão a sofrer pela mesma!

Agradece ainda a decisão tomada pela Tutela no sentido de adiar a realização das provas de exames dos alunos das escolas dos concelhos vítimas desta catástrofe!
 
A Direcção da CNIPE

 

O Jornal de Notícias, na sua edição de hoje, 15/06/2017, publica uma matéria sobre a qualidade das refeições nas cantinas escolares.

Não nos podemos esquecer que a CNIPE em novembro do ano passado enviou ofício ao Sr. Ministro da Educação, alertando para situações preocupantes que, ficaram sem resposta por parte da tutela.

Artigo completo, aqui

A 8ª Comissão Parlamentar, através de um grupo de trabalho, está a elaborar uma relatório sobre a Transferência de Competências do Ministério da Educação para as Câmara Municipais.

A CNIPE esteve ontem, dia 14 de junho, a ser ouvida sobre esta matéria.

Podem ver a posição da CNIPE, aqui

A CNIPE tomou conhecimento do mail emanado pelos serviços da DGEstE, sobre "SNIPI - Rede de Docentes 2017/18", onde se davam orientações aos Diretores dos Agrupamentos de como se deviam ocupar as referidas vagas.
O seu conteúdo gerou um grande alarmismo junto da comunidade de educadores e pais de crianças apoiadas pela IP, pelo que a CNIPE interveio junto da DGEstE, tendo obtido o seguinte esclarecimento:
 
"Esclarece-se o seguinte:
1. O Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância (SNIPI) é desenvolvido através da atuação coordenada dos Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social, da Saúde e da Educação, com envolvimento das famílias e da comunidade.
2. No presente ano letivo há mais de 500 docentes que integram estas equipas. Estes 500 docentes são na sua maioria colocados em mobilidade estatutária e assim continuará a ser.
3. Apenas uma pequena parte das colocações dos SNIPI é realizada mediante a distribuição do serviço letivo e só sobre estes versa a orientação da DGESTE.
4. Esta distribuição de serviço para os docentes afetos ao SNIPI já estava prevista no despacho de organização do ano letivo e obedece aos diplomas legais que regulam o SNIPI, dando preferência aos docentes com formação em educação especial, enquadrados sempre que possível no nível de ensino em causa."
 
A intervenção da CNIPE foi essencial e de primordial importância na obtenção do citado esclarecimento, emitido pelo Dr. José Couto.
 

 
A direção da CNIPE reuniu hoje (29/04/2017) em Coimbra, no Centro Escolar da Quinta das Flores, onde foram discutidos diversos assuntos que preocupam os pais, nomeadamente a realização da prova de aferição de expressoes. A CNIPE conclui sobre esta prova o seguinte:
 
a) Trata-de uma prova cheia de imprecisões, porque afinal muitos alunos vão ter que se deslocar para outra escola para realizar a mesma;
b) Muitos dos nossos filhos e educandos não tiveram durante o ano aulas de exercícios físicos.
b) Os nossos filhos e educandos já conhecem o enunciado;
c) Grande parte das escolas não possuem os equipamentos para realizar a prova. Os professores vão ajudar os nossos filhos a ultrapassarem estas e outras dificuldades, durante a realização da mesma.
d) Tudo vai ser facilitado e os resultados só podem vir a ser positivos. Escola, alunos e pais todos vão ficar satisfeitos!
 
Causas para considerar esta prova como uma "brincadeira" ou prova cheia de "imprecisões"!

 

Este site usa cookies para garantir uma melhor experiência de navegação, sendo que os cookies para as operações essenciais do site encontram-se já definidos no seu browser.

Para descobrir mais sobre os cookies consulte a nossa política de privacidade.

  Eu aceito os cookies deste site.